O vídeo problematiza o uso de robô (software) na licitação: seria um crime? Poderia haver a proibição do uso de robô? Como a Procuradoria do Estado de São Paulo fazia para evitar os efeitos do uso do robô em termos de limitação da competição no certame? Há também a explicação de como se dá esse debate dentro do procedimento da modalidade pregão eletrônico de licitação (que possui o chamado “tempo randômico” na etapa de lances). Assista e fique por dentro do assunto.

Acompanhe a professora Irene Nohara nas redes abaixo:

Portal de Direito Administrativo: http://direitoadm.com.br
Site profissional: http://nohara.com.br
Facebook: http://fb.me/irenepnohara
Twitter: https://twitter.com/irenenohara
Linkedin: https://linkedin.com/in/irenenohara
Instagram: https://www.instagram.com/irene.nohara/
Contato: irene@nohara.com.br

LivrosLivros