Dificuldades nas novas licitações de concessão de rodovias

18/09/13

188 acessos


Concessão de rodovias.
No caderno Mercado, da Folha, hoje (18.09.2013), o governo federal anunciou que se não obtiver na realização dos certames equilíbrio entre preço do pedágio e interesse do investidor, as obras voltarão a ser públicas.O que chamou a atenção de todos foi principalmente a falta de interessados para a BR 262/MG-ES. Ao que tudo indica, a licitação foi deserta. Os empresários reclamaram da baixa rentabilidade do negócio, sobretudo pela exigência de realização de muitas das obras em cinco anos, o que encarece os custos.
 
O governo, por outro lado, alega dificuldades em conciliar os ganhos pedidos pelos empresários com o valor do pedágio que as pessoas estão dispostas a pagar.
 
Segundo comentários de Delfim Netto, em coluna editorial própria, o leilão da BR 262 surpreendeu pelo mau resultado. Todos sabiam que ela tinha mais problemas para o concessionário do que a BR 050, a qual recebeu oito propostas. O economista e professor Emérito da FEA não descarta, no entanto, a possibilidade de ter havido “má estruturação da proposta”.
Nesta semana, o Ministro dos Transportes fará reuniões com empresários para que eles identifiquem, nas oito concessões ainda previstas, quais não teriam viabilidade.
Irene Nohara

Sobre Irene Nohara

Advogada parecerista. Livre-docente em Direito Administrativo (USP/2012), Doutora em Direito do Estado (USP/2006), Mestre em Direito do Estado (USP/2002) e graduação pela USP, com foco na área de direito público. Professora da pós-graduação stricto sensu da Universidade Presbiteriana Mackenzie (mestrado e doutorado). Autora de diversas obras jurídicas.